terça-feira, 4 de maio de 2010




Não vôo

Não vôo como pássaros
Mas posso olhar o infinito
E soltar os meus pensamentos
Deixar que eles voem
E se percam entre as nuvens.

Corra nas asas do vento
Toque nas flores
Na floresta pouse em cada galho.

E desça na cachoeira
Nos rios e nos riachos
Até mergulhar no mar
E pra areia voltar.

Terezinha C Werson

Minha mãe mulher sábia




Minha mãe mulher sábia


Pouco estudo, muita sabedoria
Gostava de escrever pensamentos.
Mulher virtuosa
Mãos de fada.

Tudo que tocava se transformava
Da roupa velha fazia nova
Com pouco alimento
Alimentava a família.

Veja sua sabedoria
Na velha maquina sentava...
Antes pegava um livro
Abria na pagina que escolhia
Dizia: minha filha sente-se ao
Meu lado e leia esta historia
Veja como é bela!

Enquanto eu costuro você ler
Porque se leio eu não trabalho
Leia quero ouvir, e o silencio se fazia
Para escutar a historia
Que ela havia escolhido.

Olhe só que inteligência
Com essa psicologia
Peguei gosto da leitura
E de escrever poesias.

Terezinha C Werson

Minha mãe seu nome era Maria




Minha mãe seu nome era Maria

A ela Deus lhe concedeu graça
Bem sei que ele abençoa as viúvas
Sete filhos adolescentes
Alguns um pouco rebelde
Com paciência aconselhava.

Meu filho não faça isso
Mais tarde você vai se arrepender
Todos ouviam o conselho
Quietos sem responder.

Assim foram crescendo
Maria era paciente
Por seus sete filhos orava
Pedia a bênçãos de Deus
Deus na sua misericórdia
Escutava Maria, e todas as suas preces.

Quantas vezes ouvi Maria
Dizendo: Meu Deus hoje
O dinheiro acabou
Pouco pão tem na mesa
A farinha tem um pouco
E o azeite uma gota.

Mas Deus ouvia Maria
O dinheiro aparecia
De pão a mesa se enchia
Na panela a farinha
E no pote o azeite transbordava
As sete bênçãos Deus concedeu a Maria.

Assim foi Maria
Seguindo a sua estrada
De Deus nunca se afastava
No fim desta estrada
Mais uma graça alcançada
Acordou e disse: estou um pouco enjoada
Mais logo passa...

Maria cheia de graça
Fechou os olhos
E num minuto partiu
Bens nenhum ela tinha
Mais era rica da graça e das bênçãos Deus
Essa era minha mãe Maria
Cheia da graça de Deus.

Terezinha C Werson
23/4/2010

segunda-feira, 3 de maio de 2010

VOU ANDAR PELAS RUAS




VOU ANDAR PELAS RUAS


Vou andar pelas ruas
Olhar as pessoas
Olhar as vitrines
Caminhar com o vento
Respirar o perfume das flores
Conversar com estranhos
Meditar sobre o dia
Abrir o meu peito
Limpar minha alma
Falar com Jesus sussurrando
Deixar esse grito explodir
Não parar, não pensar
Quero só caminhar
Não olhar para trás
Caminhar, meditar
Na mão de Jesus segurar
Para não vacilar.

Terezinha C Werson

Quem sou eu

Minha foto
Sao Paulo, Capital, Brazil
Gosto de escrever poesias prefiro escrever do que falar gosto de ler,nao tenho autor preferido, o importante é que seja um bom livro. escrever é uma maneira de mostrar o que nos vai na alma.

Arquivo do blog

Seguidores