terça-feira, 3 de janeiro de 2012

A mulher o vento e o rio.


Uma mulher desde a sua
Mocidade viajava
Pelos campos da vida.
Uma viajante solitária
Então o vento lhe perguntou:
Porque vives a passear pelos
Campos solitários desta vida?
Respondeu a mulher:
Sou viajante solitária
Gosto de caminhar
Por entre as flores dos campos.
- E você vento o que fazes?
A! eu canto, sou brisa fresca
Passando pelos jardins
Acariciando as flores...
Sou a leve brisa
Que toca nas ondas...
E sobre o rio passo devagar
Passeio pelo mundo.
-És feliz?
Às vezes sou alegre
Outras me entristeço
Porque passo e ninguém vê.
O vento perguntou:
E você rio és feliz?
Eu apenas vou passando
Nunca paro.
Que triste... Respondeu o vento
Não! Eu sacio a tua sede
Faço as arvores florescerem
Ouça meu canto
O vento responde:
Meu rio eu também canto.
E a viajante solitária
Responde: já não sou tão solitária
Na margem do rio me sento
Ouço o canto do vento
E do rio, nas suas águas me banho
Mato a minha sede
E aprendi a cantar
Ouçam a melodia
Ecoando pelos campos,
Sou eu o vento e o rio.

Terezinha C Werson
3/1/2012

domingo, 1 de janeiro de 2012

QUÃO BOM SERIA

QUÃO BOM SERIA.

Quão bom seria
Se todos os dias
Fosse o primeiro
Dia do ano
Só alegria
Céu cheio de luzes
Onde todos somos
Irmãos, unidos
Entre luzes cantos
E alegria.
A se todos os dias
Fosse o primeiro dia do ano
Quão bom seria se todos
As luzes brilhassem...
Terezinha C Werson

Primeira poesia
De dois mil doze
1/1/2012


Quem sou eu

Minha foto
Sao Paulo, Capital, Brazil
Gosto de escrever poesias prefiro escrever do que falar gosto de ler,nao tenho autor preferido, o importante é que seja um bom livro. escrever é uma maneira de mostrar o que nos vai na alma.

Arquivo do blog

Seguidores