quarta-feira, 28 de setembro de 2011

MARAVILHOSA GRAÇA

Maravilhosa graça








Sobre a maravilhosa
Graça de Cristo
Eu vi o mar brincado
Com as ondas.


O sol vermelho
Dentro do mar brilhando.


Vi os pássaros em revoada
Vi uma floresta imensa
Na serra sumindo
No meio um rio azul
Cantarolando baixinho.


Vi uma plantação de trigo
Dançando ao som do vento.


Vi nuvens brancas formando anjos
Entre o céu e a colina
De joelhos estendi os braços
E agradeci um arco Iris
Como um manto
Sobre mim se estendeu.


Sussurrando cantei.
Maravilhosa graça.


Terezinha C Werson
Poesia escrita enquanto
Ouvia hino maravilhosa graça
Belo demais.
28/9/2011

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

VIDAS SEM SONHOS

VIDAS SEM SONHOS





Vi na beira
Da estrada
Um casebre pequenino
Um homem, uma
Mulher, e alguns filhos.
Sujeira, trapos,
Comida apodrecida.
Quem passa naquela
Estrada nem olha.
Coitada daquela
Gente sem sonhos
E sem esperanças.
Amanhece a fome mora
Naquele casebre.
-Mãe, hoje tem aula?
-Tem meus filhos
Mas alimento
Não tem de barriga
Vazia ninguém vai à escola.
-Um homem lhes pergunta
- Vocês não têm medo
Que este casebre desabe?
-Sim: muito medo
Mais o que fazer se
Não podemos consertar.
-Outra pergunta
Quem passa pela estrada
Não dão uma ajuda
A vocês? não.
O pai quase não fala
No olhar uma tristeza
Que dava dó
A mulher chora
Soluça, as lagrimas
Escorrem molhando o peito.
As crianças choram, as lagrimas
Escorrem lavando a face
Não falam soluçam.
-uma pergunta a uma menina
Qual o seu desejo?
Responde: Uma casa
Onde a gente deite e durma
Sem medo que desabe
Sobre nós.
Acaba a reportagem
O repórter vai embora
E aquela pobre gente
Continuam sem sonhos
E sem esperanças.
Essa é a nossa gente
Abandonados sem futuro.

Terezinha c werson
26/9/2011
Vi essa reportagem triste.


Minha alma chora

Minha alma chora.







Minha alma chora
Num gemido
Quase grito,

Dor, quase morte.
Peito dorido
Olho, e viajo
Para o infinito.
Numa súplica
Angustiante.
Clamo ao meu Deus
Senhor! Socorre-me
Antes que esse pranto
Afogue essa alma
Tristonha e solitária.
Voa minha alma
Para os montes
E não voltes
Lá faz morada.

Acalenta minha alma
Meu Senhor.

Terezinha C Werson
26/9/2011

Neste sol

Neste sol

 Vou caminhar
Neste sol
Aquecer o meu corpo.


Vou caminhar
Neste sol
Aquecer minha alma
Olhar o céu azulado
E a terra brilhando.


Vou caminhar
Neste sol
Olhar o mar
Quase verde
E as ondas branquinhas


Vou caminhar
Neste sol
Olhar
As árvores floridas
E os jardins coloridos.


Vou caminhar
Neste sol
Aquecer o meu corpo
Fazer minha
Alma sorrir.


Terezinha C Werson
26/9/2011



Quem sou eu

Minha foto
Sao Paulo, Capital, Brazil
Gosto de escrever poesias prefiro escrever do que falar gosto de ler,nao tenho autor preferido, o importante é que seja um bom livro. escrever é uma maneira de mostrar o que nos vai na alma.

Arquivo do blog

Seguidores