quinta-feira, 29 de julho de 2010

NESTE SOL



NESTE SOL


Neste sol vou me aquecer...
Vou caminhar na areia
Pegar a espuma das ondas
Olhar Jesus rabiscando.


Ao seu lado ficarei
Os rabiscos que ele fez
As ondas não apagaram.


Neste sol vou me aquecer
Ouvir a voz do Senhor
Com ele vou caminhar...


Entrarei naquela festa
Verei aquele milagre
Da água ele fez vinho
Vi todos os convidados
Comentando o milagre.


Entrarei naquele barco
Junto com meu Jesus
Pois sei que ele ao meu lado
O barco vai navegar.


E aquela tempestade
Em sol vai se transformar
Vou me aquecer neste sol.




(Terezinha C Werson)

quarta-feira, 28 de julho de 2010

SELO [PRESENTE DE POESIAS ENCANTADAS]

Turbulência.

Turbulência.

Que turbulência é esta
Que esta me agoniando?
Senhor vem me ajudar.

Coração todo agitado
Sonhos tumultuados
Vem senhor me acalmar.

Pensamentos inquietos
Uma sonolência medonha
Vem senhor me acalentar.

Desassossego na alma
Peito quase arrebentando
Senhor vem me agasalhar.

Terezinha C Werson.
15/7/2010

terça-feira, 27 de julho de 2010

EXISTE UMA LUZ.

EXISTE UMA LUZ.

Sai por ai caminhando pensativa...
Ouvindo uma melodia
Tão triste que até a minha alma
Soluçou, num soluço sem tamanho.

Sai por ai caminhando pensativa...
A procura de uma paz que a
Muito foi embora
Olhei para um pequeno regato
Vi a paz sentada bem quieta...
na margem do regato pequenino.

Sai por ai caminhando tão tristonha
Fui à procura da alegria
Que a muito me deixou
Olhei para um campo florido
La estava ela...
Entre as flores do campo
Correndo junto com o beija-flor.

Segui um caminho tão estreito
Mal podia caminhar
Os espinhos e as pedras
Minha alma machucou.

Olhei... já era escuro
Mais logo uma luz brilhou
Olhei mais uma vez
Vi um anjo tão bonito
Sorrindo para mim.

Vi Jesus com seus braços estendidos
Fui correndo ao seu encontro
Em seus braços me abriguei
Suas mãos tão carinhosas
Minha face enxugou.

TEREZINHA WERSON

Imensidão dourada

Imensidão dourada.

Nesta imensidão dourada vou sumir...
Neste sol incandescente
Neste mar de ouro vou caminhar.
Com tristeza vou olhar
Estes galhos ressequidos
Se desmanchando no vento
Espalhando os garranchos
Neste horizonte amarelo
Bem... alem da montanha
Tentarei me esconder
Ou acharei algum cantinho
Na sombra de algum galho
Onde eu possa adormecer,
Não me chame
Despertar eu não quero
La ficarei para sempre
Quero como manto
O infinito dourado.
TEREZINHA C WERSON





Quem sou eu

Minha foto
Sao Paulo, Capital, Brazil
Gosto de escrever poesias prefiro escrever do que falar gosto de ler,nao tenho autor preferido, o importante é que seja um bom livro. escrever é uma maneira de mostrar o que nos vai na alma.

Arquivo do blog

Seguidores