Retalhos de poesias-Terezinha C Werson

POESIAS

sábado, 17 de outubro de 2020

 LEMBREI-ME.


Sala de jantar
Noite, luz de lamparina.
Quietude...
Um homem sentado
Numa cadeira de balanço
Um cigarro de palha
A fumaça lhe encobria
A face sisuda.   
Não conversava
Olhar parado.
Do outro lado da sala
Uma bela senhora
Esguia, cabelos da cor de prata
Enrolados sobre a nuca.
Vez ou outra soltava
Os cabelos como fios de prata
Sobre os ombros caiam.
Tristonha... Amassava o fumo
Enchia o cachimbo
Acendia... E a fumaça
Começava a subir, com delicadeza.
Colocava na boca muda
Sentava-se num canto da sala
E ficava a olhar o ziguezague da fumaça
E os seus sonhos se desfaziam como a fumaça
Solidão... Quietude. Moravam naquela sala
Palavra nenhuma se ouvia
E a lamparina ia ficando fraquinha
Quase apagando
A solidão era tanta
Que nem a luz da lamparina
Iluminava aquela sala
E a bela mulher
Foi se apagando
Como a luz da lamparina.
Terezinha C Werson
21/10/2012
ISTO ACONTECIA COM MEUS AVÓS.


sexta-feira, 9 de outubro de 2020

 

Poeta cantor

 

Meu pai escrevia versos

Naquele papel de bodega,

Só que eu não entendia

Lia e jogava fora,

Seus sonhos e fantasias.

 

Naquele sertão tristonho

O sol forte da manha,

Dos pássaros que se aninhavam

Nas flores do seu quintal.

 

Das tardes vermelho fogo

Das noites azul, estreladas.

Das nuvens que passeavam

Cobrindo a lua amarela.

 

Meu pai cantava alto

Sua voz era tão bela

O silencio aparecia

E ficava bem quieto

Só para ouvi-lo cantar.

 

E o papel da bodega

Espalhavam-se no balcão

Cheios de poesias

Do sonhador do sertão

Que cantava e escrevia.

 

Mas eu que nada entendia

Lia e jogava fora

Mas o vento aparecia

E seus versos carregavam

Pra tão longe... Que sumiam.

Terezinha C Werson.

 

 

quarta-feira, 14 de março de 2018

Pensei que sabia muito, descobri que nada sei. Cada dia um novo aprendizado.
Ao longo dos anos caminhei por varias
estradas. Sempre olhando para o chão
Com medo de machucar-me me desviava das pedras e dos espinhos.
Esqueci-me de olhar para as margens da estrada, de olhar para as planícies.
Bosques e montanhas. Perdi meu tempo olhando para pedras e espinhos
Ao invés de olhar para beleza que caminhava ao meu lado. Aprendi:
Quando volto a caminhar pelas estradas da vida, olho mais para beleza
Da natureza, e vejo com e belo o nascer da flor do campo, das arvores
Que margeiam a estrada, dos pássaros e borboletas que voam por entre os galhos,
Do ninho onde se aninham os filhotes dos passarinhos. Olho mais para as montanhas
Distantes, onde ao amanhecer o sol surge vagaroso, e ao entardecer ele volta a se esconder.
Olho mais para relva verde onde cansada me sento. E assim deixei de lado as pedras e os
Espinhos, e passei a contemplar a beleza do azul e verde que enfeitam esse belo
Jardim que se chama imensidão... E assim aprendi a caminhar bem... devagar...
No silencio da estrada, só eu e Deus.
TEREZINHA C WERSON
quarta-feira, 14 de março de 2018



terça-feira, 12 de setembro de 2017

NAS PEDRAS DA ESTRADA.
Nas pedras empoeiradas da estrada
Eu rabiscava poemas

E o vento apagava.
Com o vento eu brigava
Eu rabiscava, ele apagava
De tanto que rabisquei
O vento se aquietou
Os versos que rabisquei
Nunca mais ele apagou.
Se passar naquela estrada
Olhe naquelas pedras
Os meus versos estão gravados
Nas pedras daquela estrada.
Terezinha C Werson

domingo, 16 de julho de 2017

Crônica



Meus valores.
Minha infância
Feliz, pai austero
Porem presente.
Colo não lembro
Mas lembro do homem
Que sabia curar minhas feridas,
Palavras firmes, porem repreensão
Saudável, muito ouvi de meus pais.
Respeito ao próximo, aos velhos respeito
 Doçura nas palavras, união entre irmãos
Em volta da mesa silencio... Horas das refeições
E sagrada,quando chamava um filho
Jamais podíamos responder espere um pouco.
Obediência. Deus, respeito, verdades, falar baixo
Humildade gratidão, e honestidade
Éramos sete filhos, ensinamentos iguais a todos
Dizia: quando alguém fala ouve-se, jamais interromper
Ou se intrometer nos assuntos dos mais velhos.
Leia muito quando não souber o significado
De uma palavra olhe no dicionário. Quando receber visita se comportem.
Ao visitar alguém faça o mesmo.
Recebi algumas palmadas necessárias em troca recebi ensinamento que me trouxeram
Um grande aprendizado, faculdade não tive.
Mas tive pais sábios.
Este tesouro guardo com carinho. Vale mas do que muito ouro.
E muitas faculdades.


Terezinha C Werson

domingo, 5 de outubro de 2014

cantos gregorianos

domingo, 21 de julho de 2013

CASA DE REPOUSO OU CASA DA SOLIDÃO?



VOU CAMINHAR


VOU CAMINHAR...


Enquanto a noite não chega
Enquanto o sol está ameno
Sentir o vento fresco
Tocar-me.
Seguirei... Por esta estrada...
Olhando o azul que me cobre
Olhando as folhas rolando
Contemplando esta beleza
Que é presente de Deus.
Vou fazendo a caminhada
Eu e a minha alma
Que está tão melancólica
Vou tentar que ela sorria,
Ouvindo o canto dos pássaros.
Mas se a noite chegar
Vou olhar a lua branca
Iluminando minha estrada
Se chegar a alvorada
Vou colher flores do campo
Que enfeita a minha estrada
Vou sussurrar uma oração
Pedir que o SENHOR me escute
Que caminhe ao meu lado
E cuide para que eu prossiga
Vou caminhar
Nesta estrada...
Olhando o azul que me cobre
Ate o meu tempo findar.

Terezinha C Werson
15/7/2013

ESTAREI LA...

Estarei lá...


Num segundo estarei lá
Cerrarei os meus olhos
Num segundo estarei lá...
La minha alma  despertará
Vai levar só um segundo
E eu estarei lá...
Verei uma luz divina
Aguas brotando do seu trono
Num segundo estarei lá...
La terei voz de anjo,
 Pra louvar meu salvador
Num segundo estarei lá...
Angustias não mais terei
O choro já acabou
A dor do peito passou
Tristeza não mais terei
Meus olhos contemplará
Belezas que nunca vi,
Só um segundo vai levar...
pra nesse lar eu morar...
Só tem amor e paz,
Na minha nova morada.
Num segundo estarei lá...
Terezinha C Werson

21/7/2013

terça-feira, 30 de abril de 2013


EM ALGUM LUGAR...


Em algum lugar do passado
Deixei tantas coisas...

Deixei uma criança alegre
Correndo pelos campos.

Deixei a juventude
Bonita que despertava
Sorrindo, e adormecia sonhando.

Deixei sonhos espalhados
Pelas estradas floridas.

Deixei as ilusões
Flutuando no infinito
Entre o céu e o mar.

Deixei a alegria
Olhando a correnteza do rio.

Deixei o silêncio do amanhecer
Que tanto me encantava.

Deixei aquele lindo entardecer
Que me levava para bem longe...
Onde eu ouvia
O cântico dos anjos.
Terezinha C Werson
30/4/2013



quinta-feira, 11 de abril de 2013

EU QUERIA ENTENDER


EU QUERIA ENTENDER.

Queria entender
Porque sábio e quem sabe muito
Quem tem instrução
Ou quem tem conhecimento profundo.
Aqueles que agem com sensatez e são prudentes.
Vejo estes cheios de instrução
Todos os dias nos jornais
Agirem com insensatez
Com imprudência
Sem conhecimento nenhum
Falando  coisas tolas.
Nada instrutivas.
De teologia  tudo entendem
Nesse entender pregam
Suas verdades
Ferindo o seu próximo.
São certos agem dentro da lei,
Mas dividir o seu pão nem pensar!
Isso entendo:
Que o matuto sem instrução
Grosseiro rústico
É um sabedor.
Usa sabedoria da vida
Para falar, e para pensar.
Esse eu sei: sabe agir com prudência
É sensato dentro do seu modo rústico
Do homem sofrido do campo
Alma machucada pela secura da terra
Sem água e sem pão,
Aprenderam há dividir o pouco
Que lhes chegam as mãos
Em tudo dão graças
Pela chuva e pelo sol.
Esses eu entendo
São os verdadeiros sábios.
Terezinha C Werson
11/4/2013


EU AMO


Eu amo...
DEUS!

Amo  os dias ensolarados
O sol se banhando no mar, rolando nas ondas.
As flores cobertas de borboletas coloridas
O céu azul enfeitado de pássaros
O vento tocando leve nas folhas das palmeiras
O amanhecer chegando silencioso
O entardecer  se despedindo bem... Suave
A noite azul coberta de estrelas
O luar clareando minha rua
A solidão da madrugada
O orvalho caindo sobre as flores
A brisa leve tocando no meu rosto
Ouvir o murmúrio do rio quase lamento
A chuva miúda escorrendo na vidraça
A mão de Deus me segurando
O sussurro dos anjos
Bem... Carinhoso...
Eu amo o silencio
Porque escuto a voz de Deus...
Terezinha C Werson
11/4/2013


domingo, 7 de abril de 2013

SEMENTES DE ILUSOES

SEMENTES DE ILUSÕES

                           

De sonhos
Enchi as mãos.
Entre as flores
Semeie, vi alguns
Florescerem.

Nos vales
Soltei as esperanças.
Para o infinito voaram...

Sementes de ilusões
Plantei na minha estrada.
Algumas em rosas
Transformaram-se
Outras pereceram.

Libertei meus pensamentos.
Correram entre montanhas e vales,
Entre as ondas brincaram
Nos rios e cachoeiras
Mergulharam.
Em poesias transformaram-se...

Assim vou colhendo sonhos
Procurando as esperanças
Cuidando das ilusões que restaram.
Meus pensamentos?
Esses continuam libertos.
Terezinha C Werson
5/4/2013

quinta-feira, 21 de março de 2013

GOSTO DE VOAR


Gosto de voar...

Às vezes entro no azul
Nas brancas nuvens adormeço
Desperto na imensidão...

Na floresta verde me perco
Nos galhos faço meu ninho
Bebo gotas do orvalho
E logo volto a voar.

Sobre os jardins vou voando
Nas flores eu vou pousando
Levemente vou descendo
Vou pisando de mansinho
Nas pétalas que cobrem o chão.

Quando me canso do chão
Volto a voar na imensidão...
No azul eu vou entrando
Nas nuvens brancas adormeço.
E nesse voo eu sonho...
Terezinha C Werson
21/3/2013

domingo, 10 de março de 2013

JESUS EU VI

JESUS EU VI


Jesus eu vi um menino
Alegre e sorridente
Correndo pelos campos
Da inocência.
No amanhã
Nem pensava.

Jesus eu vi.
Um jovem bom, se desviando
Por caminhos tortuosos
Vi sua mãe falando:
Filho: sai deste caminho
Ele te levara para a dor, e para a solidão.
Vi uma promessa que não foi cumprida
Está bom mamãe sairei deste caminho.

Jesus hoje eu vi.
Um velho solitário
No leito triste de um hospital
Respirando mal, e olhar de medo.
Prisioneiro dos seus erros
Amarrado no leito frio
De paredes que só ouve gemidos
E lamentações...
No silencio da dor estas solitário.
Os campos que corrias 
Na tua inocência de criança
Não existe.

Jesus eu vi.
Tu ao lado da cama fria
Dizendo: não temas eu estou contigo.
As coisas velhas já passaram
E tudo se fara novo.
Terezinha C Werson
9/3/2013 09:33:17

Quem sou eu

Minha foto
Sao Paulo, Capital, Brazil
Gosto de escrever poesias prefiro escrever do que falar gosto de ler,nao tenho autor preferido, o importante é que seja um bom livro. escrever é uma maneira de mostrar o que nos vai na alma.

Arquivo do blog

Seguidores