sábado, 25 de outubro de 2008



Escancarei a janela

Era noite, céu bonito
As luzes da cidade
Todas brilhando
Olhei para a linda!
Imensidão azul

Entristeci-me
Quase chorei.

Angustiei-me
E falei com Deus
Senhor logo
Não abrirei
Minha janela.

Não verei
Mais o brilho
Da cidade
Nem essa
Imensidão azul.

Sei que não tardará
E eu partirei
E esta beleza
Não mais verei.

Autora: Terezinha C Werson
São Paulo 15/10/2008

O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons.Martin Luther King

Vou à procura

Para encontrar
Inspiração
Para minhas poesias
Vou à procura
De Deus
Que me ilumina.

E sigo a procura
Da chuva
Da brisa
Da neblina
Da verde mata
Da cachoeira.

Do tempo
Do vento
Do rio
Do riacho.

Das lagrimas
Das estrelas
Das nuvens
Das flores
Dos jardins
Dos bosques
Dos pássaros
Das montanhas.

Das campinas verdejante
Da escuridão da noite
Das noites
de lua cheia
Minguante
Quarto crescente.

Do amanhecer
Do entardecer
Do mar
Do sol nascendo
Ou se escondendo
Lá naquele infinito.

Autora:Terezinha C Werson

Dia de luz

Dia iluminado
Fui passear
Pela cidade.

Elevei meus olhos
Para o infinito
Infinito lindo!

Num segundo
Meu olhar percorreu
Todo o infinito
E sonhei...
Pensamentos e olhar
Mergulharam

Na beleza
Do azul solidão...
Vagavam no grandioso
Infinito.

E Deus apenas me olhava
E eu meditei:
Na beleza imensa
Que eu contemplava.

No chão eu não estava,
E sim, la no azul
Meu olhar eu e o meus
Pensamentos.

Vagando na beleza
Que se chama céu.

Autora:Terezinha C Werson

Uma luz fraquinha

No cantinho
Do meu quarto,
Uma mesinha
Caneta e papel
E uma luz quase apagando.

Assim escrevo meus versos
Versos simples
Palavras simples
Vocabulário bonito
Não uso
Mesmo porque nem... sei.
Escrevo, corrijo, apago
Novamente escrevo.

E o tempo vai passando
E a caneta correndo
Na folha que só espera.

E os pensamentos voam...
A caneta obedece
A folha branquinha espera.

E assim eu vou deixando
As marcas neste papel
E a luz ta tão fraquinha
Que esta quase apagando
E os meus pensamentos voando...
Tenho medo que não volte.

Autora:Terezinha C Werson
18/9/2008


Céu de primavera

Sobre os prédios
Cai um imenso
Manto azul e branco
Enfeitado pelo brilho
Do sol amarelo ouro.

Ipês e primaveras
Floridas,
Misturam-se com o verde
Das arvores.

Mas o vento forte
Parece ate festejar
Esta beleza!
Galhos se misturam
E as portas e janelas
Não se cansam de bater.

Autora: Terezinha C Werson
18 de setembro de 2008

Rio correndo lento...

Para escrever poesias,
Preciso de silencio
Da natureza
De Deus,
E de muita inspiração.

Um rio correndo lento...
Uma noite enluarada
Um dia ensolarado
Canto de Passarinho.

Rima não tem
Porque poesia
Não precisa de rima
Porque sai da nossa alma.

E a alma não tem rima
Ela sai das profundezas
Como água sai da rocha

Autora: Terezinha C Werson

Poesia escrita dia 15/10/2008
Na oficina de leituras no
Centro cultural de São Paulo



Alma pássaro

Minha alma pássaro
Fechei meus olhos
Transportei-me
Alma pássaro voou
Entre os galhos retorcidos pousou
E ao som da melodia passeou
Na lua branca se escondeu.

Desceu junto com os raios luminosos
E o mar todo iluminou
E a alma pássaro chorou.

Musica tristonha
Voa minha alma
Como pássaro solitário
Pousa no céu,
Na lua e nas estrelas

Voa...voa...
Sobe ao som desta melodia
Linda!Musica divina
Musica celestial.

Aut:Terezinha C Werson


Quem sou eu

Minha foto
Sao Paulo, Capital, Brazil
Gosto de escrever poesias prefiro escrever do que falar gosto de ler,nao tenho autor preferido, o importante é que seja um bom livro. escrever é uma maneira de mostrar o que nos vai na alma.

Arquivo do blog

Seguidores