terça-feira, 30 de agosto de 2011

UM VICIADO SOLITÁRIO

Um viciado solitário

Um jovem
De vinte e dois anos,
Parecia de trinta
Drogado desde os doze anos.
Apesar das drogas
OUVI FRASES INTERESANTES
Pai era drogado
Mas ele o defende
Drogo-me porque quero
Ninguém tem culpa.
Mãe o expulsou de casa
Ainda criança.
Não acusa
Diz: minha mãe
Não suportava me ver drogado,
Separou-se de meu pai
Porque ele se drogava.
Sei que morrerei cedo
Esse vício mata.
E assim o jovem saí
A procura de drogas.
A noite procura
Uma calçada solitária
E ali adormece.
Desperta e sai sem rumo...
Todas as manhas um senhor
Oferece-lhe um pão e uma
Xícara de café
Esse é o seu alimento diário
Lá vai ele pelas ruas
Duas latas de tinta
E um pincel, pede para
Alguém que o deixe desenhar
No muro, garante que o desenho
É bonito, ganha o dinheiro da
Pintura e volta a se drogar.
Se droga escondido e não
Em companhia de outros drogados.
Perguntam-lhe:
-Porque você se esconde para se drogar?
Responde: não quero que crianças
Mulheres me vejam usando drogas
Isso não é um bom exemplo.
Outra pergunta:
-Do que você sente falta?
Um abraço uma casa
Uma cama quentinha
Mulher e filhos...
-Que é liberdade para você?
A rua.
Com seu sonho
Impossível vai definhando
Na calçada gelada da vida
Olhar perdido não fala
Apenas fica a olhar
O infinito perdido...
Mais uma noite
Adormece
Ele a solidão.

Terezinha C Werson

Isto é verdade ouvi e vi
Essa reportagem.






















Quem sou eu

Minha foto
Sao Paulo, Capital, Brazil
Gosto de escrever poesias prefiro escrever do que falar gosto de ler,nao tenho autor preferido, o importante é que seja um bom livro. escrever é uma maneira de mostrar o que nos vai na alma.

Arquivo do blog

Seguidores