quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Silêncio e solidão

Silêncio e solidão


Silencio... E solidão
Nada quero ouvir
Não vou falar.


Quero este silêncio...
Quero orar
Falar com Deus
Pedir perdão
Pelas minhas imperfeições.


Falar: transforma-me
Quero a tua proteção
Não me deixa cair
No silencio desta solidão
Fica comigo.


Terezinha C Werson3/11/2010



Que loucura...



Que loucura...


Acordei pensativa preocupada
Abri a internet
Logo vi uma mensagem linda!
Junto uma linda musica
Fiquei feliz...


Ao ouvir a musica e ler a mensagem
Entristeci-me e chorei...


Vou acabar com esta angustia
Vou me banhar...
Lavar toda essa angustia
Lavar as lagrimas e a alma
Olhar para o sol e sorrir...


Terezinha C Werson
28/10/10 Que loucura

Sem sonhos...

Sem sonhos...


Não posso deixar
De sonhar...


Sem sonhos
É o mesmo que ter
Um jardim sem flores
É ter asas e não voar
E ser pássaro e não cantar.


É olhar para o céu e não ver estrelas
Olhar estrada
E nunca caminhar
É olhar as flores e não colher.


É na beleza do meu sonho
Que vejo o meu jardim florescer
Crio asas e vôo
Canto como passarinho
Olho para o céu vejo Deus.


Pela estrada lá vou eu
No meu jardim colho flores
Colho ilusões
Colho esperanças
E assim eu vou sonhando
E no meu vôo eu sonho.
Terezinha C Werson
2/11/2010

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Lindo poema da minha querida Karla Julia

Poema Azul




Para você,meu último poema azul
minhas lembranças de lençóis azuis
e um horizonte, muito grande,
onde, perdida, sem você, sucumbo
para depois, reencontrar-me refletida e renovada
na lembrança em seus olhos, inevitavelmente...blues


Você chegou na hora marcada
e me amou, e me amou e me amou
eu, amando e apaixonada, dissolvi-me no azul do seu olhar de mar
certa de enfrentar uma nova jornada


E nossos dias foram mais azuis do que nunca


Sinto falta desse homem que me protegia de longe
Ouço um blues ...quero chamar seu nome
Não me lembro mais do seu número de telefone


Sua morte tirou de mim nossas horas a sós e o azul de seus olhos
nunca mais é tempo demais....


Karla Julia

POESIA DA MINHA AMIGA KARLA JULIA

De Livre e Espontânea Vontade





Em mim só há uma fonte de poesia
inspiração,doçura, lirismo,
pão, vinho e mansidão

Escrevo e dissolvo-me em pura magia
Sento-me na lua, enfeito meu cabelo
e é nessa hora que a noite vira dia

Canto nossos mundos errantes, tão distantes...

E mesmo que eu morra amanhã
teu sangue já corre em minhas veias,
foi teu presente de livre e espontânea vontade







Muitas luas atrás...

Por isso não chore jamais
segue sorrindo, pois cortei meus cabelos
e deixei o mundo virando espuma
só para poder ver-te seguir teu caminho em paz



Assim reza a lenda...

Sou feliz pois o fostes
Nunca começo nem termino
Continuo...

Dou vivas a minha vida por ti escolhida!

Karla Julia

http://www.campodeorquideas.com.br/2/pagina.asp?materia=593

POESIA DA MINHA QUERIDA AMIGA KARLA JULIA.LINDA!



Ipanema não é minha




Da primeira vez que o vi
chorei mais do que a chuva das monções
deu um nó na garganta... e até a noite virou dia .


Emoção mais úmida que o próprio calçadão
onde sempre ando, pensando em fazer um novo poema,
e em como é difícil viver sem você em plena Ipanema.


Ainda choro, agora de saudades
Choro o choro dos loucos e dos sem tino
Choro porque dei de escrever esse desatino.


Choro porque é noite e a lua está tão linda
Choro porque amo viver e sei que um dia vou desaparecer.


Choro porque nunca mais poderei ver
aquele par de olhos azuis lindos de morrer.


Choro porque ela está crescendo
e logo logo não será mais minha menininha.


Choro porque meu ouvido anda dodói
e nunca mais vou ouvir a sua voz.


Karla Julia

domingo, 31 de outubro de 2010

O silêncio das folhas.







O silêncio das folhas.




Na floresta vou caminhando
Solitária...
Entre o silêncio das folhas
E o ranger dos galhos secos.




Como luz, os raios
Do sol que entra silencioso...
Companheiro da solidão da floresta.




Como musica
Ouço um coral de pássaros.
Cobertos pelas folhas
Verdes das arvores.




Vou andando...
Sem pressa e sem rumo...
Como companheira
As borboletas...
Que voam ao meu redor...




Vou caminhando
Na floresta solitária
Solitária como eu
Ouvindo o canto dos pássaros
O silencio das folhas
O ranger dos galhos secos
Vou sem pressa
Eu e as borboletas...
Terezinha C Werson/25/10/2010

Quem sou eu

Minha foto
Sao Paulo, Capital, Brazil
Gosto de escrever poesias prefiro escrever do que falar gosto de ler,nao tenho autor preferido, o importante é que seja um bom livro. escrever é uma maneira de mostrar o que nos vai na alma.

Arquivo do blog

Seguidores