terça-feira, 26 de junho de 2012

OUÇO MUITO...


OUÇO MUITO...




Me aceite como sou
Sou tímida, ouço muito.
Falo pouco.

Só elogio se gosto
De falsidade não gosto
Sou simples como
Minhas poesias.

Sou mar manso
Às vezes mar revolto
Sou floresta ensolarada
Sou floresta escura e fria.

Sou dia claro e azul
Às vezes pura neblina
Sou noite enluarada
Sou escura como breu.

Sou brisa da madrugada
Sou vento enraivecido
Sou uma garoa fina
Sou tempestade furiosa. 

Sou riacho que sussurra
No meio da solidão

Terezinha Werson



segunda-feira, 25 de junho de 2012


NA AREIA SENTEI-ME.

Na areia do mar sentei-me

Numa oração silenciosa

Só eu o mar e as ondas.

 

Uma prece quase muda

Sussurrei...

Senhor vem sentar nesta areia

Vem comigo rabiscar

Tuas palavras Senhor.

 

Na solidão desse mar

Ouve-me quando

Eu orar...

 

Aqui tem tanta

Beleza!

Azul... Silencio... Eu o mar e as ondas

Que sussurram bem... Baixinho...

Para que eu possa meditar.

 

Ao longe vejo um barquinho

Nele despejei meus sonhos

Com tristeza vou olhando

Eles desaparecendo, na imensidão desse mar.

Meus sonhos vão navegando

Onde será que vão ficar?

 

Senhor senta ao meu lado

Vem comigo rabiscar

Palavras que eu não entendo

Vem senhor.

 

Na solidão deste mar

Vem Senhor me ensinar.

 

TEREZINHA C WERSON.

25/6/2012

 

MINHA FELICIDADE






Minha felicidade.


Deus no meu coração,
Fé, esperança
Poder sonhar,
Saúde
Paz.
Uma família em harmonia
Olhar o céu nebuloso
Ver o azul e o sol.
Olhar a chuva miúda
Caindo na pétala da rosa.
Abrir a porta da alma
Deixar Deus fazer morada.
Acordar
Pela manha
Andar na longa estrada
Tendo toda certeza
Que no final da estrada
Tem Jesus me esperando.
É ver minha família
Caminhando com Jesus,
Ver as sementes que semeie
Em bons frutos transformados,
É ver minhas orações
Chegando ao trono sagrado.
É chegar perto da fonte
E ver a fonte jorrar,
É sentir o espirito santo
No meu ouvido soprar,
É olhar minha botija
E ver o azeite transbordar.
E ver que a minha mesa
Tem pão para dividir.
É ver a mão de Jesus
Ungindo minha família
É saber que meus pedidos
Em graças foram transformados.
No silencio só ouvir
As batidas de Jesus
-Abre teu coração
Nele quero habitar.
É sentir que as feridas
A mão de Jesus curou
Nem uma cicatriz restou.

Poeta de Deus.
Terezinha C Werson
25/6/2012









Quem sou eu

Minha foto
Sao Paulo, Capital, Brazil
Gosto de escrever poesias prefiro escrever do que falar gosto de ler,nao tenho autor preferido, o importante é que seja um bom livro. escrever é uma maneira de mostrar o que nos vai na alma.

Arquivo do blog

Seguidores