segunda-feira, 23 de março de 2009

Janela da solidão.

Me encostei na janela
Olhei para o céu.
Estava azul, tão azul
Que parecia turquesa
Todas estrelas brilhavam
Que parecia brilhantes.

Voltei pra sala e sentei-me
mais a tristeza era tanta,
Que pra janela voltei.
Ergui os olhos outra vez
Não havia mais azul
E não havia estrelas
E o brilhante acabou.

Ergui os olhos e pensei,
O azul virou tristeza
As estrelas se esconderam
E o brilhante se apagou.

Baixei os olhos e pensei...
A vida não tem azul
Nem tão pouco tem estrelas
E todo brilho acabou.

Voltei os olhos pra alma
La dentro vi tudo escuro
Não tinha nenhuma estrela
E todo brilho apagou.

Fechei os olhos e pensei...
O céu ficou tão triste
As estrelas sumiram
O brilhante já não brilha
E a alma é tão triste,
Porque a alegria fugiu
E se a tristeza persiste,
De solidão morrerei.

AUTORA:TEREZINHA C WERSON--1993


Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Sao Paulo, Capital, Brazil
Gosto de escrever poesias prefiro escrever do que falar gosto de ler,nao tenho autor preferido, o importante é que seja um bom livro. escrever é uma maneira de mostrar o que nos vai na alma.

Arquivo do blog

Seguidores