segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Minha alma chora

Minha alma chora.







Minha alma chora
Num gemido
Quase grito,

Dor, quase morte.
Peito dorido
Olho, e viajo
Para o infinito.
Numa súplica
Angustiante.
Clamo ao meu Deus
Senhor! Socorre-me
Antes que esse pranto
Afogue essa alma
Tristonha e solitária.
Voa minha alma
Para os montes
E não voltes
Lá faz morada.

Acalenta minha alma
Meu Senhor.

Terezinha C Werson
26/9/2011

Um comentário:

Bruno Gaspari disse...

Belo, profundo e comovente poema.
Parabéns! Boa tarde, abraço.

Bruno

Quem sou eu

Minha foto
Sao Paulo, Capital, Brazil
Gosto de escrever poesias prefiro escrever do que falar gosto de ler,nao tenho autor preferido, o importante é que seja um bom livro. escrever é uma maneira de mostrar o que nos vai na alma.

Arquivo do blog

Seguidores