quarta-feira, 14 de setembro de 2011

NO QUINTAL DA CASA GRANDE

No quintal da casa grande

 

Quando o crepúsculo descia

O céu todo colorido...

No quintal eu me sentava

A olhar o céu, e uma roça

De algodão, tão branquinha...

Eu nem sabia decifrar

Se era nuvem ou algodão

Que cobria o roçado.



Quando o galo cantava

Logo eu despertava

Ouvia uma cantoria

Mais parecia um lamento

Abria a porta e olhava

Aquela gente colhendo

O algodão orvalhado.



Eu no quintal me sentava

Ficava só escutando

Aquele povo cantando

As mãos cheias de algodão

Eu ficava imaginando...

Acho que aquilo

É nuvem que caiu lá no roçado,

De algodão orvalhado.



No quintal da casa grande.

O povo todo cantava

Mais parecia um lamento

Eu sentada no quintal

Ouvia e observava

A beleza orvalhada

Da roça de algodão.



terezinha c werson

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Sao Paulo, Capital, Brazil
Gosto de escrever poesias prefiro escrever do que falar gosto de ler,nao tenho autor preferido, o importante é que seja um bom livro. escrever é uma maneira de mostrar o que nos vai na alma.

Arquivo do blog

Seguidores